+55 48 3233-3070

Tudo que você precisa saber sobre a manutenção dos freios

O bom e velho ditado popular “melhor prevenir do que remediar” se aplica muito bem tanto para a saúde do seu corpo quanto do seu automóvel! O acompanhamento e manutenção dos freios do seu veículo podem lhe salvar a vida e também o bolso.

Item obrigatório, essencial e indispensável para condução de qualquer meio de transporte, inclusive veículos automotores, os freios merecem todo cuidado e atenção, afinal é o primeiro recurso do motorista para evitar colisões e acidentes. Manter a manutenção dos freios em dias é uma obrigação de todo condutor e pode ser mais simples do que você imagina.

Fazer um check-up antes de pegar a estrada e evitar que algo possa apresentar problemas é a chave para garantir que um possível defeito não se torne um problema ainda maior. Afinal, a quantidade de componentes que fazem parte do sistema de freios é grande, então, quanto mais cedo alguma falha for detectada, melhor.

Por mais que a tecnologia dos sistemas de freio tenha avançado bastante com inovações como ABS (sistema que evita que as rodas derrapem numa freada), EBD (controle de tração/estabilidade, que utiliza os freios) e muitos outros sistemas, isso não diminui a necessidade em fazer a manutenção dos freios.

Ao contrário do que se pensa, à medida que a tecnologia evolui, a quantidade de peças no sistema de freios só aumenta. Mesmo que isso tenha a finalidade de potencializar os resultados das peças, também aumenta as possibilidades de desgaste ou defeito de algum elemento do sistema. Logo, aumenta a necessidade de acompanhamento e manutenção dos freios.

Sintomas e diagnósticos de possíveis problemas nos sistemas de freio

A recomendação geral é que a manutenção dos freios deve ser feita a cada 10 mil quilômetros rodados. Porém, também deve-se estar atento ao manual do veículo e aos sinais que ele dá quando os freios não estão bem, como: ruídos, dificuldade para frear, frenagem longa (pedal fundo), trepidações no volante, perda do traçado ou luzes acesas no painel.

Para cada sintoma há um possível diagnóstico, mas tudo isso pode ser evitado ou antecipado com ações preventivas de manutenção dos freios.

RUÍDOS: podem ser resultantes do atrito da pastilha (ou o que sobrou dela) com o disco. Muitas vezes detritos (como pedriscos, por exemplo), entram no espaço entre os dois, causando este sintoma quando o freio é acionado.

TREPIDAÇÕES: Se ao frear você sentir alguma trepidação no volante isso é possivelmente uma consequência de alguma deformação na superfície dos discos. Há como fazer uma retífica do disco, o chamado “passe”, porém, geralmente não é suficiente para sanar completamente o problema.

FRENAGEM LONGA: o pedal duro ou baixo, pode ser causado por problemas no sistema de hidrovácuo do freio ou fluído de freio baixo.

PERDA DO TRAÇADO: um dos motivos do carro perder o traçado durante uma frenagem, é que um dos lados está freando mais que o outro. Pode ser causado por desgaste irregular das pastilhas.

LUZ DO PAINEL PERMANECE ACESA: se ao ligar o veículo a luz do sistema de freios permanecer acesa isso indica que há problemas em algum elemento do sistema. Modelos mais novos indicam até a necessidade de troca do fluido de freio, por exemplo. É hora de procurar seu mecânico de confiança para manutenção dos freios.

Principais componentes do sistema de freios sua vida útil

Conhecer os elementos que formam o sistema de freios ajuda o condutor tanto no próprio uso do sistema como para tomar as melhores decisões na hora de realizar a manutenção dos freios.

PEDAL: O pedal é o acionador do freio. Não é comum que esse componente necessite de trocas. Em casos de acidentes, no entanto, é preciso substituir partes que foram comprometidas.

SERVO FREIO: Tem como finalidade ajudar no funcionamento e no desempenho do freio. Entretanto, essa peça pode deixar o pedal do automóvel mais pesado. Caso isso aconteça, é fundamental trocar o item, mas lembre-se, o indicado é que seja trocada sempre que percorrer a marca de 120 mil quilômetros.

CILINDRO MESTRE: O cilindro mestre tem a função de fazer o abastecimento do cilindro do freio com o fluido, que é retirado do reservatório e é capaz de transformar pressão mecânica dos pedais em hidráulica. Sendo que essa peça suporta em torno de 100 mil quilômetros rodados, mas a manutenção preventiva precisa ser realizada de forma correta.

PASTILHA: A pastilha consiste em uma peça que entra em contato com o disco de freio e conseguem parar o automóvel. Por causa disso, a pastilha acaba se desgastando rapidamente, o que é capaz de diminuir o processo de frenagem. Não existe um prazo para realizar essa troca, mas é recomendado que a substituição seja feita a cada 20 mil quilômetros rodados.

DISCOS: Os discos consistem em uma das peças mais importantes em um sistema de freios e inclusive pode ter muitas falhas. Pois, eles podem entortar, ficar gastos e quebrar. Se alguma situação dessas acontecer, é necessário levar a uma empresa autorizada para fazer o reparo. Os discos precisam ser avaliados em todas as manutenções preventivas. Não existe um prazo específico para fazer essa troca, porém é importante investir em peças de boa qualidade.

Cuidados necessários para manutenção dos freios

  • TROCA DE PASTILHAS

Entre todos os componentes do sistema de freios, as pastilhas são aqueles que tendem a se desgastar mais rapidamente. Por isso, devem ser as primeiras peças verificadas na manutenção preventiva. Se estiverem gastas ou vitrificadas, é recomendado substituir imediatamente. E não se deve quebrar as bordas da face de contato.

  • TROCA DO FLUIDO DE FREIO

O fluido é um componente que muitas vezes passa despercebido pelos proprietários de veículos na hora de fazer a manutenção dos freios. A sua troca não é feita constantemente, como no caso do óleo de motor, sendo indicada apenas quando estiver se aproximando o prazo de validade indicado pelo fabricante (esse prazo costuma ser de 2 anos).

  • RETÍFICA DO DISCO DE FREIO

Se o disco de freio estiver com algum problema, a melhor opção é sempre substituir, principalmente se houver algum tipo de trinca. A retífica só é válida se a superfície estiver irregular. E deve-se observar a espessura do componente. Se estiver próximo do limite, também é recomendada a substituição.

Quando os componentes do sistema de freio apresentam algum problema, ou mesmo na manutenção preventiva do sistema, procure sempre fazer a substituição das peças por itens novos e originais, nunca tentando recuperar, até porque pensando em valores a diferença é bem pequena.

Fonte:

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência no nosso site.

× Como podemos ajudar você?